26/06/2012

Foto: Acervo Mejud

2012-Retrato do barão do Rio Branco é exposto

O projeto Sempre Memória, desenvolvido pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) por meio da Memória do Judiciário Mineiro (Mejud), expõe em junho o retrato do barão do Rio Branco, óleo sobre tela pintado por Cesare Bacchi em 1912. Esta exposição do Fato do Mês faz parte da série “I Centenário do Palácio da Justiça Rodrigues Campos.

A sala do Palácio da Justiça Rodrigues Campos que abriga o retrato ficou conhecida como sala Rio Branco e funciona como espaço de recepção de autoridades pelo presidente do TJMG, o que denota a importância dos objetos que a compõem. O retrato, grande tela ricamente emoldurada, foi tombado pelo Iepha com o Palácio, em 1977, e foi restaurado pela empresa Anima Restauração e Arte, em 1999.

A mostra ficará exposta de 26 de junho até 2 de julho no Fórum Lafayette, e de 3 a 9 de julho no anexo 1 da Unidade Goiás. A obra se encontra na Sala Barão do Rio Branco, no andar superior do Palácio da Justiça Rodrigues Campos.

Personalidades

Cesare Bacchi (1881-1971) tornou-se conhecido após ter pintado o retrato do rei da Itália, Vittorio Emanuelle III, e de outras inúmeras personalidades. Foi premiado duas vezes, inclusive com a medalha de ouro no Salão de Artistas Franceses em Paris. Bacchi está também inscrito no famoso Benezit Dictionary of Artists.

O barão do Rio Branco (1845-1912), José Maria da Silva Paranhos Junior, foi filho do Visconde do Rio Branco, nasceu e faleceu na cidade do Rio de Janeiro. Foi considerado um dos maiores diplomatas brasileiros em questões relacionadas com as fronteiras nacionais e com acordos de paz. Personalidade de destaque, foi homenageado ao nomear o Instituto Rio Branco e ter sua imagem estampada em cédulas e, atualmente, na moeda de 50 centavos. Em outubro de 2011, teve seu nome inscrito no Livro dos Heróis da Pátria.

Outras Notícias