10/05/2019

Imagens: Mejud

xIMG_0503

O presidente do TRF4, desembargador Thompson Flores, e sua comitiva conheceram as salas do Museu da Mejud

A Memória do Judiciário Mineiro (Mejud) recebeu, no dia 07/05, a visita do presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz. O magistrado conheceu as salas do Museu, localizado no Palácio da Justiça Rodrigues Campos, e algumas das principais peças de exposição. A visitação foi acompanhada pela assessora técnica da Mejud Andréa Costa Val, que repassou ao desembargador as explicações sobre a história da Justiça Mineira e o seu acervo.

Participaram da visita o corregedor-geral de Justiça do Estado de Minas Gerais (TJMG), desembargador José Geraldo Saldanha da Fonseca, a juíza auxiliar da Corregedoria-Geral de Justiça Lívia Lúcia Oliveira Borba, o chefe de gabinete do corregedor-geral Roberto Brant e a monitora da Mejud Josiane Freitas.

xIMG_0487
Na sala da memória da CGJ, o presidente do TRF4, desembargador Thompson Flores (à direita),
o corregedor-geral de Justiça, desembargador Saldanha da Fonseca,
a juíza auxiliar da CGJ Lívia Lúcia Oliveira Borba e o chefe de gabinete do corregedor Roberto Brant

No terceiro andar do Palácio, o desembargador Thompson Flores e sua comitiva visitaram a sala dedicada à memória da Corregedoria-Geral de Justiça (CGJ). O acervo doado à Mejud é composto de móveis e documentos representativos dos 70 anos do órgão do TJMG, comemorados em 2018. A sala da CGJ foi viabilizada por meio do projeto de revitalização do prédio, que já possui todas os seus ambientes ocupados com os objetos de exposição.

O presidente do TRF4 elogiou o estado de conservação do Palácio da Justiça, inaugurado em 1912 e que funcionou por mais de 100 anos como sede do Poder Judiciário Mineiro. Com a transferência da sede, em 2017, para um moderno edifício na capital mineira, o histórico Palácio assumiu integralmente o seu papel museológico.

“Fiquei encantado. O Tribunal de Justiça está de parabéns com a forma que encontrou, com os poucos recursos que sabemos que os órgãos públicos possuem, de preservar esse museu maravilhoso. A história da Justiça de Minas Gerais, que é tão rica e se confunde com a história da Justiça do Brasil, está, aqui, muito bem guardada”, disse o desembargador federal Thompson Flores.

O corregedor-geral, desembargador Saldanha da Fonseca, disse se sentir honrado com a presença do presidente do TRF4 a Minas Gerais. “Ele pôde conhecer toda a beleza do prédio, onde, por muitos anos, funcionou o Tribunal de Justiça”, disse.

xIMG_0513

A assessora técnica da Mejud Andréa Costa Val explicou às autoridades detalhes sobre a história da Justiça Mineira

Costa Val destacou o significado da visita de tão importante autoridade do Judiciário Federal à Mejud. “Tivemos a oportunidade de discutir com o desembargador Thompson Flores sobre documentos de caráter histórico, entre eles um processo envolvendo o Banco Hipotecário de Minas Gerais. Ele sugeriu que esse documento seja incorporado ao acervo do nosso Museu pelas suas peculiaridades. Iremos procurá-lo nos arquivos para que ele possa integrar à nossa coleção”, explicou a assessora.

O presidente do TRF4 foi também presenteado com exemplares do livro Comarcas de Minas, produzido pela Mejud. A obra apresenta, de forma cronológica, de 1711 a 2014, a formação do território do estado, reunindo todo o processo de formação e evolução de sua divisão judiciária, bem como a relação de juízes que atuaram nas comarcas nesse período.