05/04/2011

Foto: Renata Caldeira

Memória recebe doação de urnas

A Memória do Judiciário Mineiro (Mejud) recebeu, no último dia 31 de março, a doação de duas urnas em madeira jacarandá, do início do século XX, utilizadas pelo Tribunal do Júri para sorteio de jurados e que pertenceram ao desembargador Wilson Veado. A entrega foi feita pelo juiz de direito titular da 11ª Vara Criminal de Belo Horizonte, Marcos Henrique Caldeira Brant, através de termo de doação do procurador de Justiça do Ministério Público de Minas Gerais, Carlos Weber ad-Víncula Veado, filho do desembargador.

O juiz Caldeira Brant, que é membro efetivo do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais, justificou a intermediação como uma maneira de contribuir para o acervo museal do Poder Judiciário. “Minas é um estado muito rico em história. Ele detém cerca de setenta por cento do patrimônio histórico do Brasil”, destacou.

A assessora da Mejud, Andréa Costa Val, agradeceu ao procurador Carlos Veado e enalteceu a iniciativa do juiz Caldeira Brant, a quem chamou de grande parceiro da Memória do Judiciário Mineiro. “São peças de valor, que irão enriquecer o Museu do Tribunal de Justiça”, disse.

Como doar

Magistrados e entidades especializadas interessados na doação, preservação e na recuperação de autos findos, livros, documentos e objetos diversos de interesse histórico ou cultural existentes nos arquivos dos cartórios do interior, bem como de órgãos judiciários da capital do estado devem entrar em contato diretamente com a Mejud. O Ofício 001/2011, com as devidas orientações, foi enviado a todas as comarcas e segue o que recomendam a Resolução 252/93, o Provimento GACOR/117/2004 e o Aviso CGJ/21/2009, regulamentando a matéria. Outras informações podem ser obtidas pelos telefones (31) 3237 6224 e 3237 6249 ou pelo correio eletrônico mejud@tjmg.jus.br.

Outras Notícias