20/06/2018

Foto: Mejud

xDSCF2401

Documentos receberão tratamento contra brocas

A Memória do Judiciário Mineiro (Mejud) elaborou um minucioso projeto visando aprimorar a infraestrutura física e de pessoal do seu Museu instalado no Palácio da Justiça Rodrigues Campos em Belo Horizonte. O plano de revitalização, que será atendido por processos licitatórios individualizados, engloba serviços de desinfestação de documentos, comunicação visual, iluminação e aquisição de tintas, materiais para exposição e monitores touchscreen.

Os pedidos de aquisição de bens e serviços foram encaminhados à Gerência de Compras (Gecomp) do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais (TJMG). Segundo a assessora da Mejud, Andréa Costa Val, a expectativa é que os editais de licitação sejam publicados até o final deste ano. “A Mejud está muito empenhada em organizar o Palácio da Justiça e espera abrir os espaços, todos montados e com os equipamentos necessários, ainda em 2018”, informou.

A iniciativa das intervenções tornou-se viável a partir da transferência da sede do TJMG, que funcionava no antigo prédio da avenida Afonso Pena 1.420, no centro da cidade, para a nova unidade da avenida Afonso 4.001, no bairro Mangabeiras. As salas desocupadas passaram a abrigar novos ambientes temáticos criados pela equipe de arquitetas da Mejud.

Desinfestação

A desinfestação de insetos xilófagos (brocas) por anóxia será realizada nos processos criminais e cíveis, inventários, testamentos e livros oriundos das comarcas de São João del-Rei, Conselheiro Lafaiete e Santa Bárbara, que, atualmente, fazem parte do acervo da Mejud. Trata-se de uma solução atóxica, sustentável, ecologicamente correta, que mantém a integridade do material sem colocar em perigo à saúde humana.

O método tem sido amplamente utilizado por conservadores e restauradores do Brasil devido a sua relativa facilidade de execução e eficácia. Consiste na substituição do oxigênio por um gás inerte ou através da utilização de absorvedor de oxigênio, resultando na mortalidade das pragas em qualquer um de seus estágios evolutivos como ovo, larva, pupa e adulto.

Além disso, a desinfestação por anóxia não modifica as propriedades físico-químicas do material tratado, isto é, não altera a sua forma original, deixando-o livre da ação dos insetos e permitindo efetuar o tratamento nos locais de armazenamento das coleções. Serão contemplados, primeiramente, 8.472 processos e 237 livros. O prazo para a conclusão dos serviços deverá ser de 45 dias, contado a partir da data de instalação da bolha de plástico especial.

Iluminação

A adequação da iluminação do Museu permitirá destacar e valorizar as peças do acervo, assim como manter o estado de conservação ideal com iluminação específica. A tecnologia de LED a ser implantada apresenta maior durabilidade, não produz calor, que é prejudicial aos documentos e pinturas, e dispensa o uso de reatores. Reduz, ainda, o consumo de energia elétrica, resultando em uma alternativa ambientalmente sustentável.

Monitores touchscreen

A Mejud solicitou a compra de três monitores Full HD acima de 32 polegadas com tecnologia touchscreen, para exibir apresentações detalhadas sobre o acervo histórico e vários tipos de mídias. Os equipamentos serão instalados nas novas salas de exposição, visando criar mapas interativos para consulta dos visitantes. O software dos monitores dará acesso a textos, imagens, vídeos, arquivos PDF, websites, a partir de um menu inicial.

Comunicação Visual

Uma nova linguagem expográfica e museográfica também será implantada no Museu, readequando os espaços existentes e criando novas salas de exposição. Será implantada uma nova diagramação dos textos, imagens, legendas, etiquetas, elaboração de faixas, bem como criação da logomarca para o Museu.

A licitação destinada à comunicação visual inclui a compra de 130m2 de adesivos em vinil de alta resolução, colorido, com altura variável entre 270 cm e 500 cm.

Materiais diversos

As tintas serão destinadas à pintura de paredes internas e de painéis expositivos. Faz parte também do plano de revitalização do Museu a aquisição de chapas de MDF para suporte dos elementos de comunicação visual, cúpulas em acrílico cristal e bases fixas e móveis de exposição em MDF.