Abril/2009

Foto: Ascom/TJMG

FotoDonaBeja_fatos02-1009

O Inventário dos bens de Dona Anna Jacinta de São José data de 1874, na cidade de Bagagem, tendo como herdeiros sua filha Dona Joana de Deus São José e seus netos,  filhos de Dona Theresa Thomásia de Jesus, sua filha já falecida. Compõe-se de jóias, objetos de prata, móveis, escravos e propriedades.

Dona Anna Jacinta de São José nasceu na freguesia da cidade de Formiga da província de Minas Gerais. Filha natural de Maria Bernarda dos Santos, sempre viveu em estado de solteira e teve duas filhas.

Dona Beja, como ficou conhecida na cidade de Araxá, “cortesã de beleza ímpar, que aparece, no século XIX, incorporada à história como a heroína responsável pela integridade territorial do Estado, responsável pela reincorporação do antigo Sertão da Farinha Podre (atualmente regiões do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba) a Minas Gerais, sendo mais tarde, associada também com a Revolução de 1842.”

“O mito Dona Beja foi um produto do século XX, nasceu no seio de uma classe média em busca de reconhecimento e espaço, em uma região que vivia um processo de afirmação de sua identidade. Seria identificada com as águas minerais, o maior tesouro de Araxá, às quais se devia sua origem e a vida de seu povo. E sua beleza  seria fruto de seus banhos nas fontes da cidade. Desta forma foi possível alavancar o turismo na região que hoje é muito procurada pelas instâncias hidrominerais.”

“Os araxaenses tradicionalmente mantiveram com ela um relacionamento simbiótico, que se pautava no interesse mútuo: enquanto alimentavam o turismo com o mito, este era alimentado pelo turismo.”

Por volta de 1850, Dona Beja transferiu-se para Bagagem (atualmente, Estrela do Sul), onde gozava de grande influência e elevado conceito social, falecendo em 1873.

Fonte:

Dona Beja: Desfazendo as Teias do Mito – Dissertação de Mestrado Universidade Federal de Uberlândia – MONTANDON, Rosa Maria Spinoso de– Orientadora: Prof.ª  Dr.ª Vera Lúcia Puga de Sousa