Maio/2012

Foto: Acervo Mejud

aurora_crep_fato_05-2012

“A invenção do gás de iluminação e, mais tarde, o nascimento da fada eletricidade vão orientar a inspiração artística para tochas e candelabros.”

Na Sala Barão do Rio Branco,localizada no andar superior do centenário Palácio da Justiça, as esculturas de ferro fundido, Aurora e Crepúsculo saúdam os visitantes De autoria do escultor Mathurin Moreau, os belíssimos corpos, apresentam uma “pele” muito lisa, ligeiramente encoberta por um véu, com o braço erguido valorizando o busto, são de extrema fineza .

Mathurin Moreau que também assina diversas esculturas na antiga capital federal na cidade do Rio de Janeiro, adornando edifícios de diversos órgãos de governo, bem como residências de famílias mais abastadas, nasceu da cidade de Dijon, França, em novembro de 1822. O escultor, autor de inúmeras obras espalhadas pelo mundo, foi aluno da Escola de Belas-Artes de Paris, teve a figura feminina como sua maior fonte de inspiração, sendo a representação elegante e requintada da mulher a marca de seu estilo.

As peças se encontram expostas no Palácio da Justiça Rodrigues e, podem ser vistas de segunda à sexta-feira de 9 às 12hs e de 14 às 17:30 hs.

Esta exposição, faz parte da Série Especial Comemorativa do I Centenário do Palácio da Justiça Rodrigues Campos. As estatuetas Aurora e Crepúsculo, em ferro fundido,  adornam a Sala Barão do Rio Branco no Palácio da Justiça Rodrigues Campos.

Fontes:
ROBERT-DEHAULT, Elisabeth. As fundições artísticas; sua história e seus escultores Disponível em: www.easyline.com.br/francis/fontrio
JUNQUEIRA, Eulália. Metal dos novos. Disponível em: www.revistadehistoria.com.br