21/09/2011

Foto: Marcelo Albert

Arte e fotografia em discussão

Temos a sensação de conhecer uma obra de arte através da sua imagem fotográfica, mas, na verdade, o que conhecemos é apenas uma representação dela. É o que propõe o artista plástico Bruno Duque, palestrante do Circuito de Seminários promovido pela Memória do Judiciário Mineiro (Mejud) do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais (TJMG) ontem, dia 20 de setembro. Ele falou sobre as diferenças perceptivas entre a obra de arte bidimensional e sua reprodução fotográfica.

Bruno Duque afirmou que hoje as pessoas, inclusive os curadores de mostras e exposições de arte, veem mais fotografias de obras de arte que as obras originais. Ele explica que há diferenças nas tonalidades de cor e luz e que um pequeno reflexo captado por uma fotografia pode dar a impressão de ser uma pincelada numa pintura. “Pensamos que conhecemos obras de arte muito divulgadas pela fotografia como ‘A última de ceia’ e a ‘Monalisa’ (ou Gioconda), ambas de Leonardo Da Vinci, mesmo sem ter o conhecimento direto da obra idealizada pelo artista”, argumenta.

O espectador pode se decepcionar diante de uma obra que ele havia visto pela foto; outras vezes, ele pode se encantar ainda mais. O artista diz acreditar que é interessante os apreciadores de arte, diante de uma fotografia, tentarem imaginar a obra de arte em sua dimensão original. Ele lembra que a experiência estética, ou seja, as sensações diante de uma obra de arte, depende “dos estados de ânimo, da experiência anterior, dos gostos pessoais e das relações simbólicas estabelecidas com a obra”.

Currículo

Duque é bacharel em Artes Plásticas, tendo sido aluno no programa de pós-graduação na Universidade das Ilhas Baleares, na Espanha (2006/2009) e atuando como arte educador no Memorial Minas Gerais Vale (2010/2011). Participou de exposições em Buenos Aires, Barcelona, Escola Guignard, Centro Cultural Buritis, Universidade Milton Campos, Galeria Belizário e Café com Letras.

Circuito de Seminários

As palestras do Circuito de Seminários da Mejud acontecem na terceira terça-feira do mês em parceria com o Grupo de pesquisas e estudos em Museologia – Arte – Estética na Tecnologia, Educação e Ciência (MUSAETEC-UFMG/ECI), com o apoio da Assessoria de Comunicação Institucional (Ascom) do TJMG. O evento é aberto ao público em geral e as inscrições podem ser feitas pelo telefone (31) 3237 6224 ou pelo correio eletrônico mejud@tjmg.jus.br.

No mês de outubro não haverá palestra em função do II Seminário Internacional Ciência e Museologia: Universo Imaginário, a ser realizado de 3 a 6 de outubro de 2011. As inscrições podem ser feitas até o dia 29 de setembro através do site: http://simuseu.eci.ufmg.br/.

Outras Notícias