11/10/2019

Foto: Mejud

x20191010_143704

Na entrevista, o superintendente da Mejud, desembargador Lúcio Urbano, explicou como criou o Conhecendo o Judiciário

O programa institucional Conhecendo o Judiciário do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais (TJMG) completa 20 anos de existência em 2019. Implementado pela Assessoria de Comunicação Institucional (Ascom) na gestão do ex-presidente do TJMG, desembargador Lúcio Urbano Silva Martins, o programa visa apresentar, em parceria com a Memória do Judiciário Mineiro (Mejud), a estrutura e funcionamento do Poder Judiciário, por meio de uma linguagem simples e acessível.

Realizadas na capital e nos fóruns das comarcas mineiras, as atividades contemplam estudantes, grupos de terceira idade e participantes de grupos organizados da sociedade civil. No Palácio da Justiça Rodrigues Campos, sede do Museu do TJMG, em Belo Horizonte, os alunos do ensino médio, da rede pública e particular, participam de um júri simulado e visitam o acervo em exposição com o auxílio de monitores do setor.

Para celebrar a data, o desembargador Lúcio Urbano Silva Martins, atual superintendente da Mejud, foi entrevistado pelo programa Plural da Ascom. O magistrado explicou que o Conhecendo o Judiciário foi lançado por ele em 1999.

“Eu sempre observei que o povo em geral não tem ideia exata das atribuições de um magistrado. Sua função não é apenas julgar quem matou ou quem roubou. Diante disso, eu criei o programa para explicar à população em todas as comarcas a missão principal do Poder Judiciário”, disse o ex-presidente.

A nova edição do Plural vai ao ar em novembro no Portal TJMG.

Memória do Judiciário

Visitas ao Palácio da Justiça podem ser agendadas de segunda a sexta-feira pelo telefone (31) 3237 8257 ou pelo e-mail mejud@tjmg.jus.br.

Dentre os principais documentos históricos expostos no Museu da Mejud, destacam-se a Carta de Alforria de Chica da Silva (1754), o Inventário de Bens de Dona Beja (1874) e os processos do Caso dos Irmãos Naves (década de 1930) e do Crime do Marcha à Ré (década de 1940).