13/08/2018

Foto: Mejud

x20181106_152130

O primeiro edifício-sede do Poder Judiciário Mineiro foi o sobrado que pertenceu ao tenente-coronel Francisco de Paula Freire de Andrade, militar e participante da Inconfidência Mineira. Situado na antiga Rua Direita, nº 7, em Ouro Preto, segundo o jurista e professor Ricardo Fiúza, o belo solar foi construído por José Álvares Maciel, antigo capitão-mor da província de Minas Gerais. O edifício foi erguido como presente à sua filha, D. Isabel Carolina de Oliveira Maciel, que casara com o tenente-coronel, falecido no exílio em Angola, em 1808.

Herança portuguesa, dava-se o nome de “Rua Direita” à via que conduzia à igreja matriz. Denominada hoje de Rua Conde de Bobadela, inicia-se na Praça Tiradentes e dirige-se à Matriz do Pilar. A casa do tenente-coronel figurava como uma das melhores de Vila Rica. O sobrado, em estilo colonial, conta com dois pavimentos. A entrada encontra-se ao centro do prédio, uma enorme porta de madeira com ombreiras em cantaria de pedra sabão, que leva ao interior do sobrado. De cada lado da porta dois janelões emoldurados de forma semelhante. No segundo andar cinco portas de madeira com varanda, distribuídas de forma simétrica. Na parte interna da edificação as paredes eram embelezadas com inúmeros quadros, em suntuosas molduras e os assentos com acabamento em damasco amarelo. O edifício também contava com uma biblioteca ricamente abastecida.

Com a publicação, no dia 6 de agosto de 1873, do Decreto imperial n. 2.342, de D. Pedro II, era criado o Tribunal da Relação de Ouro Preto. O Diário de Minas publica, em 27 de janeiro de 1874, o registro do arrendamento da casa onde seria instalada a sede da Relação do Estado.

A’ thesouraria de fazenda, remettendo, para os devidos effeitos, copia do contrato celebrado em 31 de Agosto ultimo com o cidadão Francisco Candido da Gama para arrendamento da casa de sua propriedade, sita a rua Direita desta capital, afim de n’ella funccionar o tribunal da relação ultimamente creado.